×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 189
Você está aqui:PolíticaCrise penitenciária e gafe: Temer vive início de ano complicado

Crise penitenciária e gafe: Temer vive início de ano complicado

Publicado em Política

Em meio a uma das mais sérias crises penitenciárias do Brasil (com as rebeliões no Amazonas e em Roraima, deixando mais de 90 detentos mortos), o presidente Michel Temer (PMDB), ao tentar manter a aparente calma, acabou sendo alvo de chacotas esta semana depois de uma gafe durante visita ao Rio Grande do Sul. Em sua primeira visita ao estado gaúcho depois que tomou posse como presidente, Temer foi recebido com protestos na segunda-feira, 9, por cerca de 150 pessoas, do lado de fora do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, região metropolitana de Porto Alegre. Os manifestantes foram retirados após ação da Polícia Militar, que teve de usar gás lacrimogênio.

 

O presidente participou de cerimônia de entrega de 61 novas ambulâncias do Samu. Ao falar da economia gerada pela gestão do ministro da Saúde Ricardo Barros, Temer confundiu as moedas correntes no Brasil. “Em pouquíssimo tempo, ele anunciou a economia de R$ 800 milhões de cruzeiros”, discursou. O cruzeiro deixou de ser a moeda brasileira em 1993.

 

Crise penitenciária

Também no RS, Temer anunciou a construção de um presídio federal no estado gaúcho. A afirmação é uma tentativa de demonstrar reação à crise penitenciária brasileira, agravada pelas rebeliões no Amazonas e Roraima.

Antes, Temer levara o tema à discussão junto à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia. No encontro, além de tratar da repercussão dos massacres registrados nesta semana em Manaus e Boa Vista, os chefes do Executivo e do Judiciário iriam negociar possíveis ações conjuntas entre os dois Poderes para conter a crise nos presídios e evitar que as rebeliões que ocorreram na Região Norte se espalhem para outras penitenciárias do país, informaram assessores.

A primeira medida anunciada por Temer após as rebeliões foi a construção de cinco presídios federais para criminosos de alta periculosidade. O governo deve liberar cerca de R$ 40 milhões a R$ 45 milhões para cada presídio.

Lido 663 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Quem Somos

Empresa jornalística da região oeste da grande São Paulo que produz informação com transparência, credibilidade, qualidade e agilidade, buscando sempre o aprimoramento da democracia.

Circulação

Barueri, Cotia, Osasco,
Carapicuiba, Itapevi, Jandira,
Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus.

Onde Estamos

Sede própria:
Av. São Paulo das
Missões nº 81
Barueri/SP
CEP 06411-300
Fone (11)4198-4014

Newsletter

Cadastre-se

Lembrar-me