Imprimir esta página

As Causas da Personalidade Delinqüente

Publicado em Opinião

Esta resenha não esgota o assunto  

 

Alguns de nós pensamos e repensamos em como pode uma criança, dócil e amável durante a infância, tornar-se um delinqüente mais tarde. Essa característica do espírito que vem de outras vidas exercendo delitos, na maioria das vezes no meio político, de poder, de uso de influencia para levar vantagens e submeter pessoas. Desenvolvem a delinquência e em dada encarnação surge mais ostensiva. Tem os valores de egoísmo fortalecido até pela impunidade e aceitação social. Apos desencarnar vive períodos de sofrimento e provas difíceis. Resgatados de regiões de intenso sofrimento tendem a nascer nos ambiente que ajudaram e alimentaram. Ai, sem blindagem, é chamado a um testemunho maior e que requer mais vontade para superar. Nem todos fracassam, mas aqueles que fracassam entram em círculos de sofrimento e desenvolvem ou ampliam a capacidade de manipulação. Muitos que não fracassaram enfrentam situações e conseqüência de saúde ou deficiências físicas que são corretivos de contenção. Em geral atraem forças mais poderosas que os localizam e agem por vingança. São processos obsessivos muito difíceis e intricados. Via de regra, entidades amigas os encaminham para encarnações mais difíceis, como nascer mulher em países de praticas religiosos mais fanatizados. Lá submetidos dês de cedo a situações de subjugação maior, vão sendo dobrados pelo medo que é a única coisa que faz parar um sociopata. Só após muitos séculos e sucessivas encarnações conseguem promover as mudanças de personalidade necessárias para retomar o processo evolutivo. O exemplo disso é Bezerra de Menezes, que segundo ele mesmo, veio para Terra inicialmente como degredado de planeta na constelação do Cocheiro (Capela). Após muitas lutas venceu e tornou-se um dos maiores bem feitores do bem na cidade do Rio de Janeiro.

Inspirado durante o estudo do capitulo 30, livro “Pingos de Luz”, Divaldo Franco/ Joanna de Angelis. Esta resenha não esgota o assunto e suas causas. 

Lido 9195 vezes
Avalie este item
(3 votos)