×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 189
Você está aqui:CulturaSérie Preacher promete muitas polêmicas, mas não pode perder sua essência

Série Preacher promete muitas polêmicas, mas não pode perder sua essência

Publicado em Cultura

Preacher é a aclamada HQ criada por Garth Ennis e Steve Dillon que foi publicada pela DC/Vertigo de 1995 a 2000, faz parte das chamadas “HQs adultas”. Em sua estreia, o “gibi” já chamou muita atenção e polêmica por aliar os temas como violência, sobrenatural, religião e drama, com doses cavalar de humor negro estremamente caricato, que sugere uma comparação imediata ao trabalho do jovem cineasta Quentin Tarantino, que na época havia acabado de lançar seu Pulp Fiction: Tempo de Violência.

Ultraviolento, Escatológico e Blasfemo, Sem Vergonha e lógico absolutamente divertido a HQ ganhou as telas, agora nas mãos do canal AMC (o mesmo do sucesso de The Walkinh Dead) e dos diretores Seth Rogen e Evan Goldberg (amigos desde infância, liam as HQs de Preacher desde a primeira edição), é bem provável que vemos uma série feita por fãs para fãs. Na trama da série, o jovem pastor Jesse Custer (Dominic Cooper) retorna à cidadezinha de Annville, Texas, para comandar a igreja local. Mas seu monótono cotidiano, que ele suporta graças a altas doses de uísque e cigarros, é abalado com a chegada de uma entidade inexplicável. Igualmente impactantes são as entradas no local de Tulipa (Ruth Negga), uma antiga parceira, e o vampiro irlandês Cassidy (Joseph Gilgun). Poucas HQs são tão absurdas quanto Preacher e isso torna muito mais difícil que a série seja realmente fiel ao material original.

 



O primeiro episódio já prova que os leitores da HQ podem esperar muitas alterações, como é o caso de Tulipa que na série se mostra bem radical, letal e empoderada que na versão impressa, em compensação vemos os personagens como o Xerife Root (W. Earl Brown) e Cara-de-Cú (Ian Colletti), muito mais verossímeis com a HQ. Um dos grandes acertos do primeiro episódio é instigar o telespectador com situações inusitadas e misteriosas, que dá a ideia do sobrenatural que Preacher tem e aquela curiosidade que todos temos, vamos aguardar para que os próximos episódios tenha mais dessas particularidades e temos que torcer para que a AMC mantenha toda esta aura de Preacher das HQs, insano e absolutamente brutal, se os produtores mexerem muito na série e deixá-la mais “certinha” e “envergonhada”, é melhor assistir a missa do Padre Marcelo Rossi, que pode ser mais divertido.

Lido 700 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Quem Somos

Empresa jornalística da região oeste da grande São Paulo que produz informação com transparência, credibilidade, qualidade e agilidade, buscando sempre o aprimoramento da democracia.

Circulação

Barueri, Cotia, Osasco,
Carapicuiba, Itapevi, Jandira,
Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus.

Onde Estamos

Sede própria:
Av. São Paulo das
Missões nº 81
Barueri/SP
CEP 06411-300
Fone (11)4198-4014

Newsletter

Cadastre-se

Lembrar-me